terça-feira, 21 de julho de 2015

Antero de Quental já dizia:


«(...) em Portugal não pode haver Revolução que mereça esse nome (…) Revolução pressupõe propósitos, firmeza e força moral. O que aqui não há. Portugal é um país eunuco, que só vive de uma forma inferior para a vileza dos interesses materiais e para a intriga reles e cobarde».



              Tão, mas TÃO atual...

Sem comentários:

Publicar um comentário